Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Wicked Girls Club

- Join me -

SEM TÍTULO

   

FB_IMG_15164388087546423.jpg

    Há uns dias o meu mundo desabou, caiu-me aos pés assim como tu. Fui invadida por uma tamanha mágoa, tristeza, que após tanto tempo sem conseguir chorar por te ter na minha vida e nunca me deixares chegar a esse ponto, eu não aguentei mais e chorei. Chorei como nunca chorei. Chorei por tudo aquilo que acontece na minha vida, repetidamente, com tanta frequencia e tudo ao mesmo tempo, chorei por desgosto de o sentimento por ti ter desvanecido, chorei por ter um nó na garganta tão grande que quase me impedia respirar. Não aguentei e desabei, desabei a teus pés. Desculpa-me se não te estou a dar o que mereces, se não te estou a mimar e a prestar a atenção devida, porque se há alguém merece, és tu. 

   Eu não sei o que fazer. Preciso de ficar bem emocionalmente e psicologicamente e resolver tudo o que tenho na minha vida para conseguir estar bem para te dar o que mereces, aquilo que sempre mereceste, apesar de todas as nossas discussões e desavenças. No fundo isto tinha de ter um fim e tu sabes, de qualquer das maneiras, devido a outros motivos íamos acabar por não aguentar mais, se calhar não somos maturos o suficiente e este fim nos venha a amadurecer. 

    Ao mesmo tempo em que te quero, não te quero, porque não está correto neste momento. Não é correto ter alguém na minha vida que me ama tanto e que me dá tudo quando eu não me sinto capaz de retribuir ou dar algo de mim. Por isso muito embora eu te queira, não te quero e preciso que sejas feliz também, com alguém sem ser eu. Mereces tanto ser feliz. Mais do que eu alguma vez mereci ou mereco. Mereces alguém que te possa dar o que eu neste momento não consigo, desculpa-me, mais uma vez. Mas quando o sentimento desvanece, mesmo que queiramos voltar atrás e tentar tudo de maneira diferente parte de nós volta ao mesmo e aí será pior, acabando por nos destruír por completo, sem restar nada. Ao menos assim resta-nos a esperança. A esperança de que um dia, o Universo venha até ao nosso encontro e nos encontremos de novo, ou que nos voltemos a ouvir, como da primeira vez. O Mundo dá muitas voltas e o meu neste momento estagnou porque o meu Mundo eras tu e sem ti o tempo parou. Já nada faz sentido, mas é o que está certo. Infelizmente o ser Humano é racional e a minha parte racional não está a deixar-me seguir algo que considero errado tanto para mim como para ti, para nós.

    Eu estarei aqui e tu sabes, a tentar melhorar, por ti ou por outra pessoa a quem consiga dar o que tenho de bom. Tudo isto me dói ainda mais porque eu sei que nunca mais vou encontrar alguém como tu. Que me ame com a mesma intensidade que tu; que me olhe inocentemente como tu me olhaste pela primeira vez; que me toque sem maldade; que me beije timidamente; que me faça sorrir por todas as piadas que por mais que sejam secas chegam a ter piada por serem inteligentes; que me agarre e abraçe como tu, quando nos deitavamos nus juntos um do outro, sem medos, sem qualquer barreira, na nossa intimidade, intimidade essa que deixou marcas tanto em ti como eu mim. Espero que um dia nos voltemos a cruzar num jogo online, ou que alguém que conhecemos nos volte a juntar sem se aperceber que está a juntar duas pessoas que foram feitas uma para a outra mas que num momento das suas vidas não conseguiram ficar juntos. 

    Porque no final das contas, o sentimento desvanece mas permanece, as marcas da nossa colisão continuam cá, expostas, ainda muito recentes, tornando-me sensível e ao mesmo tempo mais forte.